terça-feira, 17 de maio de 2016

    Gonçalves Dias

I
Ó Guerreiros da Taba sagrada,
Ó Guerreiros da Tribo Tupi,
Falam Deuses nos cantos do Piaga,
Ó Guerreiros, meus cantos ouvi.

Esta noite - era a lua já morta -
Anhangá me vedava sonhar;
Eis na horrível caverna, que habito,
Rouca voz começou-me a chamar.

Abro os olhos, inquieto, medroso,
Manitôs! que prodígios que vil
Arde o pau de resina fumosa,
Não fui eu, não fui eu, que o acendi!

Eis rebenta a meus pés um fantasma,
Um fantasma d'imensa extensão;
Liso crânio repousa a meu lado,
Feia cobra se enrosca no chão.

O meu sangue gelou-se nas veias,
Todo inteiro - ossos, carnes - tremi,
Frio horror me coou pelos membros,
Frio vento no rosto senti.

Era feio, medonho, tremendo,
Ó Guerreiros, o espectro que eu vi.
Falam Deuses nos cantos do Piaga,
Ó Guerreiros, meus cantos ouvi!

II
Por que dormes, Ó Piaga divino?
Começou-me a Visão a falar,
Por que dormes? O sacro instrumento
De per si já começa a vibrar.

Tu não viste nos céus um negrume
Toda a face do sol ofuscar;
Não ouviste a coruja, de dia,
Seus estrídulos torva soltar?

Tu não viste dos bosques a coma
Sem aragem - vergar-se e gemer,
Nem a lua de fogo entre nuvens,
Qual em vestes de sangue, nascer?

E tu dormes, ó Piaga divino!
E Anhangá te proíbe sonhar!
E tu dormes, ó Piaga, e não sabes,
E não podes augúrios cantar?!

Ouve o anúncio do horrendo fantasma,
Ouve os sons do fiel Maracá;
Manitôs já fugiram da Taba!
Ó desgraça! Ó ruína! Ó Tupá!

III
Pelas ondas do mar sem limites
Basta selva, sem folhas, i vem;
Hartos troncos, robustos, gigantes;
Vossas matas tais monstros contêm.

Traz embira dos cimos pendente
- Brenha espessa de vário cipó -
Dessas brenhas contêm vossas matas,
Tais e quais, mas com folhas; é só!

Negro monstro os sustenta por baixo,
Brancas asas abrindo ao tufão,
Como um bando de cândidas garças,
Que nos ares pairando - lá vão.

Oh! quem foi das entranhas das águas,
O marinho arcabouço arrancar?
Nossas terras demanda, fareja...
Esse monstro... - o que vem cá buscar?

Não sabeis o que o monstro procura?
Não sabeis a que vem, o que quer?
Vem matar vossos bravos guerreiros,
Vem roubar-vos a filha, a mulher!

Vem trazer-vos crueza, impiedade -
Dons cruéis do cruel Anhangá;
Vem quebrar-vos a maça valente,
Profanar manitôs, maracás.

Vem trazer-vos algemas pesadas,
Com que a tribo Tupi vai gemer;
Hão-de os velhos servirem de escravos
Mesmo o Piaga inda escravo há-de ser!

Fugireis procurando um asilo,
Triste asilo por ínvio sertão;
Anhangá de prazer há-de rir-se,
Vendo os vossos quão poucos serão.


Vossos Deuses, ó Piaga, conjura,
Susta as iras do fero Anhangá.
Manitôs já fugiram da Taba,
Ó desgraça! ó ruína!! ó Tupá!

1. Qual é a temática do texto?
a) A guerra entre nações indígenas.
b) O processo de colonização e a tragédia do povo Tupi.
c) Os perigos existentes nas matas.
d) As maldições em que os índios acreditam.

2. O Piaga era o intermediário entre o mundo sagrado e a tribo. Que verso comprova no poema essa função?
a) “Frio vento no rosto senti”
b) “O meu sangue gelou-se nas veias”
c) “Falam deuses nos cantos do Piaga”
d) “Liso crânio repousa ao meu lado”

3. A segunda parte do poema apresenta os sinais de desgraça que o Piaga não havia percebido. Qual dos itens a seguir não apresenta um desses sinais?
a) um negrume no céu
b) a coruja piar durante o dia
c) a cobra enroscada no chão
d) a lua nascer vermelha

4. Por que o Piaga tinha dificuldades para perceber os sinais de desgraça?
a) Anhangá o impedia de percebê-los.
b) O Piaga estava assustado com o fantasma.
c) Ele foi enfeitiçado por uma cobra.
d) Uma fumaça impedia sua visão.

5. A que se refere à metáfora do verso “basta selva, sem folhas, i vem”?
a) ao lugar onde os índios viviam
b) aos navios portugueses
c) ao lugar de onde vinham os portugueses
d) a Taba sagrada

6. A visão do processo de colonização transmitida pelo poema é
a) um processo de progresso, pouco compreendido pelos nativos.
b) um processo de colonização esperado e harmônico.
c) um processo de colonização necessário e justo de construção de uma civilização.
d) um processo de opressão dos índios e de destruição de sua civilização.

7. O poema lido faz parte da primeira geração da poesia romântica, a chamada geração nacionalista ou indianista. A partir da leitura do poema qual seriam então os propósitos dessa geração?
a) Ressaltar a força e a cultura indígena.
b) A investigação histórica das nossas origens culturais e o repúdio à cultura portuguesa.
c) A valorização da cultura indígena, colocando como superior à cultura portuguesa.
d) A denúncia das injustiças sociais que já existiam antes da chegada dos portugueses.

8. De acordo com o significado das palavras destacadas nos versos, assinale a sequência correta.
(I) “Anhangá me vedava sonhar”
(II) “Manitôs! Que prodígios que vi”
(III) “E não podes augúrios cantar”
(IV) “Profanar manitôs, maracás”
(V) “Vossos Deuses, ó Piaga, conjura

a) impedia, acontecimentos, presságios, desrespeitar, invoca.
b) ordenava, guerreiros, canções, conhecer, reza.
c) proibia, estranhos, notícias, utilizar, procura.
d) levava, inteligências, mensagens, tocar, promete.

Gabarito:
1.b, 2. c, 3. c, 4. a, 5. b, 6. d, 7. b, 8. a

43 comentários:

  1. Eis rebenta a meus pés um fantasma ,
    Um fantasma d'imensa extensão;
    Liso crânio repousa a meu lado,
    Feia cobra se enrosca no chão.

    ResponderExcluir
  2. Não sabeis o que o monstro procura?
    Não sabeis a que vem, o que quer?
    Vem matar vossos bravos guerreiros,
    Vem roubar-vos a filha, a mulher!

    ResponderExcluir
  3. Negro monstro
    os sustenta por baixo,
    Brancas asas abrindo ao tufão,
    Como um bando de cândidas garças,
    Que nos ares pairando - lá vão.

    ResponderExcluir

  4. Vem trazer-vos crueza
    , impiedade -
    Dons cruéis do cruel Anhangá;
    Vem quebrar-vos a maça valente,
    Profanar manitôs, maracás.

    ResponderExcluir
  5. Abro os olhos, inquieto, medroso
    ,
    Manitôs! que prodígios que vil
    Arde o pau de resina fumosa,
    Não fui eu, não fui eu, que o acendi!

    ResponderExcluir

  6. Vem trazer-vos crueza
    , impiedade -
    Dons cruéis do cruel Anhangá;
    Vem quebrar-vos a maça valente,
    Profanar manitôs, maracás.

    ResponderExcluir
  7. Bem legal o que a mensagem do texto quer passar

    ResponderExcluir
  8. Tem como me mandar por email alguns artigos?

    ResponderExcluir
  9. O Piaga era o intermediário entre o mundo sagrado e a tribo. Que verso comprova no poema essa função ?

    ResponderExcluir
  10. Não sabeis o que o monstro
    procura?
    Não sabeis a que vem, o que quer?
    Vem matar vossos bravos guerreiros,
    Vem roubar-vos a filha, a mulher!

    ResponderExcluir
  11. Ó Guerreiros, o espectro que eu vi.
    Falam Deuses
    nos cantos do Piaga,
    Ó Guerreiros, meus cantos ouvi!

    ResponderExcluir
  12. Incrível as atividades
    , gostei muito! Ajuda bastante nos estudos diários!

    ResponderExcluir
  13. Seu site
    já está em meus favoritos, parabéns pela iniciativa!

    ResponderExcluir
  14. Analisei seu blog
    e vi que possui muitas atividades que ajudam os professores, parabéns!

    ResponderExcluir
  15. Inclusive, já passei algumas para meus alunos
    e eles adoraram!

    ResponderExcluir
  16. Excelente exercícios, poderia postar mais sobre a nova ortografia
    . Obrigada!

    ResponderExcluir


  17. Com o gabarito
    tudo fica mais fácil, dá mais segurança pra corrigir depois!

    ResponderExcluir
  18. Só de analisar as atividades, vejo o quanto que seu site
    é bom!

    ResponderExcluir
  19. Vejo o quanto os materiais fornecidos aqui são de suma importância para o aprendizado.

    ResponderExcluir
  20. O ideal seria colocar atividades de todas as matérias seu blog
    , o que acha?

    ResponderExcluir
  21. Super interessante os artigos colocados aqui
    , tem alguns que são novidade pra mim..

    ResponderExcluir
  22. Entro constantemente no seu site
    para estudar..

    ResponderExcluir
  23. Como é gratificante encontrar artigos como este
    , bem interessante.

    ResponderExcluir
  24. Salvo todos os artigos em um arquivo
    e sempre tô olhando pra não esquecer rs

    ResponderExcluir
  25. O ideal seria vc expor atividades de outras matérias
    também, né?

    ResponderExcluir
  26. Faço projeto de estudos com crianças aqui na minha cidade, adorei seu site
    !

    ResponderExcluir
  27. Já havia entrado em um dos seus artigos, por isso estou sempre por aqui
    rs

    ResponderExcluir

  28. Grande benefício para os leitores ter artigos
    como estes, parabéns!

    ResponderExcluir
  29. Seria possível colocar atividades
    relacionadas a orações subordinadas?

    ResponderExcluir
  30. Preciso ter algumas atividades para complementar meu plano de aula

    ResponderExcluir
  31. Deveria colocar mais questões relacionadas a adjuntos
    adverbiais.

    ResponderExcluir

  32. Os assuntos
    abordados são de suma importância para quem estuda a língua portuguesa.

    ResponderExcluir

  33. Já olhei algumas de suas atividades
    , são excelentes!

    Seu site
    não precisa de mais nada, conteúdos muito bons!

    ResponderExcluir