quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Soneto de Cláudio Manuel da Costa - poema/questões objetivas/ gabarito

SONETO
Cláudio Manuel da Costa

Quando cheios de gosto, e de alegria
Estes campos diviso florescentes,
Então me vêm as lágrimas ardentes
Com mais ânsia, mais dor, mais agonia.

Aquele mesmo objeto, que desvia
Do humano peito as mágoas inclementes,
Esse mesmo em imagens diferentes
Toda a minha tristeza desafia.

Se das flores a bela contextura
Esmalta o campo na melhor fragrância,
Para dar uma ideia de ventura;

Como, ó Céus, para os ver terei constância,
Se cada flor me lembra a formosura
Da bela causadora de minha ânsia?

01. No soneto, o eu lírico lamenta-se por
a) ter magoado a pessoa amada.
b) não ser correspondido amorosamente.
c) estar num belo lugar sem a pessoa amada.
d) sentir-se indigno diante de tão bela paisagem.

02. Segundo os versos do poema, percebe-se que a natureza
a) contrasta com o estado emocional do eu lírico.
b) reanima o estado emocional do eu lírico.
c) reflete o estado emocional do eu lírico.
d) tranqüiliza o estado emocional do eu lírico.

03. Diante da natureza o eu lírico sente-se
a) impaciente.
b) com muita energia.
c) livre das mágoas.
d) triste.

04. De acordo com o poema, as flores
a) aliviam o sofrimento do eu lírico.
b) enchem o eu lírico de felicidade.
c) lembram ao eu lírico a mulher amada.
d) perfumam a mulher amada do eu lírico.

05. “Para dar uma ideia de ventura”, o verso em destaque expressa
a) proporção         b) causa              c) tempo               d) finalidade

Gabarito: 01. c 02. a 03. d  04. c 05. d

Nenhum comentário:

Postar um comentário