terça-feira, 13 de setembro de 2011

SONETO LXII, de Cláudio Manuel da Costa - poema/ questões objetivas/ gabarito

SONETO LXII
Cláudio Manuel da Costa

Torno a ver-vos, ó montes; o destino
Aqui me torna a pôr nestes oiteiros;
Onde um tempo os gabões deixei grosseiros
Pelo traje da Corte rico, e fino.

Aqui estou entre Almendro, entre Corino,
Os meus fiéis, meus doces companheiros,
Vendo correr os míseros vaqueiros
Atrás de seu cansado desatino.

Se o bem desta choupana pode tanto,
Que chega a ter mais preço, e mais valia,
Que da cidade o lisonjeiro encanto;

Aqui descanse a louca fantasia;
E o que te agora se tornava em pranto,
Se converta em afetos de alegria.

01. O poema apresenta como temática
a) o encanto que a vida na cidade produz.
b) a vida sofrida e cansativa no meio rural.
c) a superioridade do ambiente rural em relação ao urbano.
d) a superioridade do ambiente urbano em relação ao rural.

02. O interlocutor do eu lírico é
a) os montes       b) Corino         c) Almendro      d) os vaqueiros

03. “Torno a ver-vos, ó montes; o destino/Aqui me torna a pôr nestes oiteiros;” os versos destacados revelam
a) saudade       b) regresso         c) arrependimento      d) decepção

04. De acordo com os versos do poema, o eu lírico
a) lamenta sua saída da Corte.
b) expressa desprezo pela choupana.
c) planeja retornar a Corte.
d) valoriza a vida simples e natural.

05. Segundo o texto, a vida na Corte para o eu lírico
a) tem mais valia.
b) gerava infelicidade.
c) tinha mais afeto.
d) era cheia de alegria.

Gabarito: 01. c 02. a 03. b 04. d 05. b

Nenhum comentário:

Postar um comentário